Será? Mentira… Lá vai mais uma série de comparações entre Sebi e Schumi:
  • Sebi começou no kart aos 3 anos de idade, Schumacher aos 4. Únicas palavras que sabiam pronunciar eram ‘Bremse’ e  ‘Reifen’.🙂
  • O pai de Sebastian construía telhados, aquela estrutura de madeira em cima da casa ;) – Rolf Schumacher era pedreiro e construía chaminés durante o inverno. Alô pessoal da construção, seu filho pode ser um fera na F1.
  • A família de Sebastian era de classe média – a do Schumacher um pouco mais abaixo do que isso. Nos primeiros anos de competição, eles não dispunham de equipamento tão bom como seus concorrentes, mesmo assim venciam corridas.
  • Foram descobertos, apoiados financeiramente e moralmente pela mesma pessoa – Gerhard Noack.
Gangue reunida - Noack segurando um papel, Schumacher de boné vermelho, Sebastian de boné verde e Kaiser de óculos

Gangue reunida - Noack segurando um papel, Schumacher de boné vermelho, Sebastian de boné verde e Kaiser na ponta direita

  • Em 2000, após vencer o campeonato de construtores pela Ferrari durante a entrevista coletiva quando os pilotos falam em sua língua nativa, Schumacher de peruca vermelha agradeceu a Noack e a todos em Kerpen. Vettel sem peruca no GP da Itália em 2008 fez o mesmo.
  • Kerpen – lugar comum. Sebi e Schumi passavam horas na pista do kartódromo aprendendo sobre mecânica e desenvolvendo as habilidades, principalmente debaixo de chuva, que é o tempo mais normal no noroeste da Alemanha. Sebastian molhava as rodinhas quando fazia sol.
  • Em 1987, Noack montou sua equipe KSN (Kart Sport Noack); Schumacher que corria de graça pela Eurokart ao invés de entrar nos monopostos decidiu fazer mais um ano no kartismo na categoria Senior. Schumacher e Noack arrebataram os campeonatos europeu e alemão. Seu mecânico era então o desconhecido Peter Kaiser. Em 1997, Sebastian corre pela KSN, equipe agora aclamada de kartismo, cujo chefe é ‘tanananam’ Peter Kaiser. Noack parte para área de gerenciamento de pilotos. Sebastian aumenta sua coleção de troféus drasticamente. Hoje em dia KSN é KSM (Kaiser, Schumacher e Muchow).
  • Schumacher entra no esquema e começa a promover Sebastian. Tipo assim – ‘oh cara, ficou sabendo de um kartista rápido que está fazendo horrores?’. Berger, ex-chefe da Toro Rosso, caiu na lábia de Schumacher.

 

Berger e Vettel no pódio italiano em 2008. Eu te disse, Berger!

Berger e Vettel no pódio italiano em 2008. "Eu te disse, Berger!"

  • Segundo Noack que afirma com convicção que Sebi nada mais é que o clone do Schumacher, as características em comum são: velocidade natural; autocrítica; interesse pela parte técnica; aproveitamento total do equipamento e comprometimento com a equipe.
  • Em 2004, Sebastian vence 18 das 20 corridas na Fórmula BMW, quebrando todos os recordes possíveis e imagináveis. Thiesen se agita. Schumacher vence 13 das 18 na F1 e mais uma cacetada de recordes caem por terra. Ironia maior ainda: Rubens é vice na F1 e o brasileiro Átila Abreu é vice na F-BMW.
  • Tanto Schumacher como Vettel adoram uma pelada… Ai!
  • São viciados no “fitness”. Se bem que agora Michael está mais para levantamento de copos de cerveja e lançamento de bituca de charuto.
  • Os dois têm uma queda por Senna. Schumacher o admirava desde quando o brasileiro chamava-se Ayrton da Silva e brilhava no kart. Vettel o descobriu assistindo a primeira vitória dele em Interlagos de 1991 (corrida gravada), ele disse que adorou a emoção da prova, Senna não conseguindo levantar o troféu de tão exausto e o ‘comentarista brasileiro’ indo à loucura.
  • Vivem na Suíça, gostam da natureza e não suportam por muito tempo a vida na metrópole.

Vettel é o novo Schumacher? Não, mas ô vidinha sacana que ele teve, hein!