Schumacher assistiu o GP chinês da sua casa na Suiça, mas como essa foi 300ª prova televisionada pela RTL alemã, já estava prevista sua participação nos estúdios após a corrida. Ele se mostrou animado com a vitória de Vettel: “Foi maravilhoso. E divertido assistir a isso.” Ele também acredita que essa não será a última vitória de Vettel durante a temporada: “Na Austrália e China, eles logo mostraram que podiam ser rápidos tanto na pista seca como na molhada. Mantendo o desempenho do carro, eles serão capazes de vencer ainda mais corridas.” Ele já imagina que o carro da Red Bull ficará até mais forte do que os outros competidores: “Com o novo pacote aerodinâmico, o difusor de dois andares, eles ainda vão melhorar muito. O potencial da equipe é ainda muito grande.”

A segunda vitória na carreira foi importante para a maturidade de Vettel, porém Michael acha que foi ainda mais para a Red Bull por ter superado todas as expectativas. É um fator que motiva a todos na equipe, não somente os pilotos. E eles já podem ser considerados como fortes candidatos a disputar o título nesse ano. Michael não mostrou surpresa com o desempenho da Ferrari na China: “Isso já estava claro na primeira corrida. Para nós foi um choque porque nos testes de inverno, tínhamos um desempenho sólido, estávamos entre os mais rápidos. Nós não ficamos mais lentos, porém as outras equipes melhoraram substancialmente mais do que poderíamos prever.”

 

Sobre o KERS, ele deixou claro que o abandono do sistema na prova da China não foi com a intenção de deixar a Ferrari mais rápida, mas sim, pela falta de confiabilidade do sistema. A Ferrari precisa finalizar as corridas antes de mais nada. E Schumacher acredita que devido ao tempo que se gastará fazendo todas as modificações para melhorar o carro, a equipe deverá avaliar se já não é hora de concentrar os esforços para a próxima temporada.