Christian Kämmerling e Jocelyn Bain Hogg,  repórter e fotógrafa conseguiram ficar dois dias bem próximos a Schumacher durante o final de semana do GP do Brasil enquanto Michael viajava da Suíça para Portugal com o objetivo de testar motos. A seguir, alguns trechos da entrevista para a revista Zeit:

(Dentro do avião em direção a Portugal)

Q: Que critérios você usa para escolher uma casa?
Schumacher: Privacidade e segurança. Isso tem que ser garantido. E limpeza também.

Q: Limpeza?
Schumacher: Quando eu volto de uma viagem internacional, sempre me prende a atenção o fato daqui ser tão limpo. Não há sacolas plásticas ao lado da rua. Tudo é organizado, as ruas são limpas.

Q: O que você sente falta quando você pensa na Alemanha?
Schumacher: O que eu mais sinto falta é não poder fazer uma visita rápida para o meu pai. E meus antigos amigos não estão sempre ao meu redor.

Q: Nenhuma saudade das altas taxas de imposto?
Schumacher: Não mesmo.

Q: Você não sente falta do pão típico?
Schumacher: Eu gosto de comer um pão bem integral. Mas agora você pode conseguir aqui na Suíça. Tem até mesmo no Aldi (cadeia de supermercados de origem alemã).

Note o patrocinador Chiquita no braço

Note o patrocinador Chiquita no braço

Q: Por que você não está agora sentado no cockpit? Uma licença de piloto ainda falta no seu currículo.
Schumacher: Bem simples – sentar ali na frente é muito chato para mim. A decolagem e aterrissagem são interessantes, o resto é rotina. E além do mais, eu frenquentemente vôo longas distâncias, eu preciso de um avião bem grande para isso, e ficar sentado num cockpit apertado enquanto não há ninguém sentado no grande espaço para passageiros, não faz sentido.

Q: Mas você já tentou?
Schumacher: Eu gosto de tentar de tudo sim. Eu acho que helicópteros são mais emocionantes. Mas não é assim tão excitante. Eu prefiro até pular do avião.

Q: Com ou sem pára-quedas?
Schumacher: Com um obviamente. Ficar lá em frente da porta aberta do avião é realmente intenso. A primeira vez eu também sofri com o medo de altura. Mas uma vez que você está lá fora no céu é tudo muito bonito.

(Schumi aponta seu dedo para uma cesta de bananas) ”Chiquita foi um dos meus primeiros patrocinadores.”

Q: Sério ?
Schumacher: Sim. Isso por volta de 1989. A equipe toda sempre tinha que comer bananas. Compota de bananas no café da manhã, no almoço e no jantar.

Q: Bananas de todos os tipos…
Schumacher: Antes de cada corrida eu ia ao mercado e comprava bananas. Duas caixas. Nós não queríamos que elas se desvalorizassem.