Você foi eleito ‘a personalidade mais popular da Europa’ pelos franceses. Como você se sente?

MS: “Bem, eu fiquei um pouco surpreso, para ser honesto. Eu nunca esperei ser tão famoso na França, eu considero isso uma honra. Durante toda minha carreira, eu tive muitos torcedores entre os franceses, embora eu seja alemão e estava pilotando para uma equipe italiana. Eu acho que meu amigo Jean Todt ajudou-me a ficar famoso em seu país.

Você recebeu muitos prêmios desde que você parou de pilotar na F1. Isso é especial para você?

MS: “Tudo é muito especial e importante para mim. Eu não trabalhei com intenção de ser famoso ou receber prêmios, mas eu entendo que eu fiz na pista algo importante dando alegria para as pessoas, e obviamente é muito bom sentir isso. Agora eu tenho mais tempo para me importar com as coisas mais úteis. É por isso que estou ajudando junto com Todt o ICM (instituto fundado com intenção de ajudar na cura e prevenção das doenças cerebrais e medulares) – um projeto ambicioso e fantástico que será desenvolvido em Paris – ou trabalhar com a UNESCO. Eu sempre acreditei, junto com Corinna, que você tem que dar algo em troca.



Quais são suas atividades hoje em dia?

MS: “Eu ainda estou muito envolvido com a Ferrari na F1 e também no desenvolvimento de carros de passeio, mas agora mais nos bastidores. É mais sobre dividir conhecimento e ajudar no desenvolvimento, além do mais eu estou envolvido com a configuração do 430 Scuderia e também do novo carro GT que logo será lançado. Por diversão, eu piloto motos. Então você pode ver, que eu não tenho razão para sentir falta da F1. Eu tenho muito mais tempo para estar com minha família que é tudo para mim. Poder controlar minha agenda é um luxo para mim!

430 Scuderia

 

Fonte: Site Oficial