Entrevista com Jonathan Noble, sábado, 26 de abril 2008

P. Você foi criticado por Jean Todt por correr com motos. O que você tem a dizer sobre isso?

MS: Primeiro de tudo, eu fico feliz porque eu tenho amigos como Jean que me contam a respeito das implicações do que eu estou fazendo. Meus amigos sempre me advertem do que eu estou fazendo e eu fico feliz sobre isso. Obviamente, eu já sou bem crescido para julgar o que eu quero fazer e o que eu não quero. Isto faz parte da minha paixão. É o que eu gosto de fazer e eu estou me divertindo agora.

Com Nelson Piquet

P. Porque você está atendendo a esta corrida?

MS: As primeiras corridas são bem distantes e eu realmente não gosto de viajar tanto e eu preferi ficar em casa. Esta corrida é mais próxima, eu já estava aqui durante os testes então é natural estar aqui e poder ver o que está acontecendo e avaliar nossa situação.

P. Como você avalia o campeonato este ano?

MS: Eu acho que este ano está muito empolgante. Assistindo ontem e hoje pela manhã, os carros estavam tão próximos, até na qualificação. Eu vi oito ou nove carros com diferença de um décimo. Isto é excitante para todos nós, assistir o que está acontecendo. Eu ainda sou parte disso. Eu me envolvo, talvez não tanto que você possa enxergar, mas do meu lado eu faço o bastante para não sentir falta.

Com o rei da Espanha e o chefão Bernie

P. Você tem planos para um filme sobre sua vida?

MS: Nós recebemos alguns pedidos neste sentido para filmar minha carreira, mas eu provavelmente estou muito ocupado para encontrar tempo para isso. Portanto agora não é algo que eu desejo fazer.

Com Ross Brawn

P. O que você acha que acontecerá a respeito do escândalo do Max?

MS: Eu acho que eu sei o tanto quanto você. Eu não sei qual é a situação ou o que acontecerá. O ponto é que eu conheço Max como um profissional e eu o estimo muito. Eu sempre pensei sobre mim mesmo, e eu não queria que as pessoas comentassem sobre minha vida privada, então não há razão para entrar na vida privada dos outros.